Chess, de Lazsló Polgár

Por Hindemburg Melão Jr.


Quando assisti ao filme “A guerra do fogo”, um detalhe muito marcante foi que durante o filme inteiro não houve um diálogo sequer. Não é da época do cinema mudo, é dos anos 1980, e foi produzido na França, mas qualquer pessoa, de qualquer idioma, pode assistir e compreender toda a história, mesmo sem diálogos nem narrações. O livro “Chess” tem algumas características peculiares muito semelhantes às desse filme, pois há pouquíssimo texto e mais de 5.000 exercícios. Isso poderia levar a questionar se algum método que utilize tal conteúdo funcionaria. A resposta está nos resultados das irmãs Polgár: Szófia foi uma das melhores do mundo, Zsuzsanna foi campeã mundial e Judit foi hors concours, pois venceria com excessiva facilidade o campeonato mundial feminino, se o disputasse, por isso só jogava eventos masculinos, chegando a ficar entre os 10 melhores do mundo, com 2735. Além disso, ela bateu o recorde de Fischer ao ser a pessoa mais jovem a conquistar o título de GM. Devo dizer que, particularmente, eu seria muito cético em relação à metodologia desse livro funcionar, porque sou a favor de compreender conceitos, em vez de resolver milhões de exercícios. Mas contra fatos não há argumentos, e os resultados das irmãs Polgár são impressionantes. O livro se divide em uma breve introdução que contém praticamente o único texto da obra, logo em seguida vem um volume substancial de exercícios de mate em 1, mate em 2, mate em 3, finais elementares, combinações e uma seleção de partidas curtas quase sem comentários. Na versão que tenho, estão os lances de cada partida, mas nas versões mais novas, constam só os diagramas das posições críticas, nas quais se deve encontrar a combinação vitoriosa. Lazsló é pedagogo, assim como Pachman, e sua tese sobre como seria possível maximizar o desempenho mediante o estudo exaustivo de temas táticos se verificou muito eficiente. Judit foi uma das melhores jogares táticas do mundo, vencendo inclusive o grande Anand numa brilhante partida analisada pelo campeão mundial Alexander Khalifman, com o título "Como cazar al tigre, manual para chicas valientes", já que Anand é conhecido como o "Tigre de Madras". Nesta partida, ela faz uma série de sacrifícios e depois arremata com um ataque devastador. O livro não tem praticamente nada de estratégia, quase nada de texto, é uma maratona de tática com exercícios cuidadosamente selecionados. Não está livre de erros, mas até nesse aspecto acaba sendo um exercício interessante identificar os erros e revisá-los. A principal vantagem deste livro em comparação aos demais é que muitas pessoas (a maioria) acha que estudar Xadrez é ler o livro, sem reproduzir e analisar cada uma das partidas e diagramas, ou então analisam usando engines. Isso não ajuda a desenvolver quase nada. Por isso neste livro a pessoa é obrigada a exercitar de fato, resolvendo todos os 5.334 exercícios. Com essa ideia, Laszló se antecipou em mais de 20 anos à Deep Mind, colocando a pessoa para "aprender sozinha", sem textos explicativos. A pessoa vai resolvendo e deduzindo por si, à semelhança do AlphaZero. Claro que há várias diferenças, mas também há algumas semelhanças importantes. Em 2000, quando ganhei esse livro do amigo Frederico José Andries Lopes, que na época estava fazendo seu doutorado sobre Ensino de Matemática, fizemos algumas estimativas sobre qual seria o rating esperado para uma pessoa que resolvesse todos os exercícios, e nossa conclusão ficou de que seria algo entre 1900 e 2200. No próprio livro, Laszló estima cerca de 2100. Então com um plano de estudo para resolver 15 exercícios por dia, em menos de 1 ano a pessoa deve chegar à força aproximada de 2100. Claro que isso varia muito de pessoa para pessoa. Algumas resolverão tudo em menos de 1 mês, outras vão parar antes de terminar a segunda página. E mesmo entre aquelas que resolverem tudo, algumas chegarão perto de 2200, enquanto outras ficarão em torno de 1800. Mas todas ficarão muito bem treinadas no reconhecimento e execução dos principais temas de Tática. O que se pode objetar é que poucas pessoas teriam a disciplina necessária para resolver todos os exercícios de capa a capa. Se a pessoa fizer os exercícios pensando no rating, ou achando cansativo, enfadonho etc., fica realmente difícil, mas se a pessoa gostar de Xadrez, ela fará com prazer, e nem verá o tempo passar. Resolverá 15 exercícios em menos de 1h. Se a pessoa tiver facilidade, em menos de 15 minutos. Nos casos de exercícios de mate em 1, se a pessoa achar muito fácil, creio que não haja problema em pular esta parte, ou pular 9 em cada 10 exercícios nessa parte e passar logo à fase seguinte. Enfim, é um livro que utiliza método polêmico e conteúdo polêmico, mas a experiência mostra que produz bons resultados. Este livro utiliza um método quase oposto ao do "Lições elementares de Xadrez" do Capablanca, no qual o foco está nos princípios estratégicos, em poucos exemplos a partir dos quais se pode extrair regras gerais que se aplicam numa grande variedade de situações. No início, é mais agradável e mais rápido o aprendizado por este método do Capablanca, mas logo se chega perto do limite assintótico de habilidade, e para continuar progredindo é necessário investir tempo no método do Lazsló Polgár. A pessoa pode não seguir exatamente o roteiro deste livro específico, pode optar pelo Tática Moderna do Pachman, ou pela Enciclopédia de Combinações, entre outros, mas precisa estudar tática por meio da resolução de muitos exercícios, caso contrário ficará com uma grave deficiência para lidar com determinadas posições, deixando escapar muitas oportunidades e, o principal, deixando de apreciar um dos aspectos mais artísticos do Xadrez, que está nas combinações. Diferentemente dos livros analisados anteriormente, que incluem um pouco de tudo, este trata exclusivamente de Tática, inclusive tática em finais. É possível começar por ele, se a pessoa já souber as regras, mas o ideal seria ler pelo menos o Lições elementares do Capablanca (ou Xadrez Básico, ou Manual de Idel Becker), antes de resolver esta lista de exercícios, porque durante a resolução será possível perceber como os princípios gerais ensinados por Capablanca estão relacionados aos temas táticos. O surgimento da oportunidade de uma combinação ocorre em virtude de uma boa construção estratégica, ao longo da qual se foi acumulando várias pequenas vantagens até que se tornou possível arrematar com um ataque fulminante. Ao olhar para o diagrama de cada exercício, quem já tiver estudado um dos livros citados no parágrafo anterior, poderá perceber que geralmente quem executa a combinação vitoriosa é porque tem algumas vantagens estratégicas. Se a pessoa não tiver estudado os livros anteriores e começar por este, não há problema, o treinamento será ótimo também, mas o motivo pelo qual um dos bandos está sendo "punido" ficará menos claro. Geralmente o bando que leva o ataque é porque cometeu erros estratégicos que degradaram sua posição.