Xadrez os 2022 melhores jogadores da História: Dois novos sistemas de rating

Por Hindemburg Melão Jr.


Um dos novos sistemas é um aprimoramento dos métodos existentes (1), sem grandes novidades. O outro (2) é um sistema inovador, baseado na qualidade dos lances, e soluciona um problema que vem sendo investigado há mais de 15 anos por importantes matemáticos, estatísticos e cientistas da computação, como Ivan Bratko, Matej Guid, Rémi Coulom, Jean-Marc Alliot, Daniel Rensch, Kenneth Wingate Regan, Guy McCrossan Haworth, Mathieu Acher, François Esnault, Tamal Biswas, Diogo R. Ferreira, Aritz Perez, Charles Sullivan, Ashton Anderson, Jon Kleinberg, Sendhil Mullainathan e outros expoentes da área. Além de o sistema 1 conduzir a resultados mais acurados e mais bem fundamentados que os atualmente existentes, o sistema 2 possibilita, pela primeira vez, calcular os ratings de jogadores que atuaram antes do ano 1840. Todos os métodos anteriores esbarravam nesse limite, devido à escassez de partidas registradas antes dessa época, que dificultam a conexão entre os jogadores e a comparação de suas forças. Com esse novo sistema é possível calcular os ratings com base em apenas uma partida, ou até mesmo com base no fragmento de uma partida. Isso permite determinar as forças dos jogadores desde o ano 1475 até 2021, situando-os todos numa mesma escala unificada e atemporal. Os métodos utilizados para corrigir a inflação no rating e para ajustar os efeitos da evolução na compreensão do jogo possibilitam medir as forças dos jogadores de 3 maneiras diferentes: 1. Rating empírico bruto 2. Rating deflacionado 3. Rating absoluto O rating empírico bruto é muito similar ao rating FIDE, USCF, CBX etc. A estrutura básica do cálculo é a mesma do sistema Elo e não tem correção da inflação nem da evolução na compreensão do jogo. Os resultados são similares ao rating FIDE, caso o rating FIDE existisse desde o ano 1475, portanto, assim como acontece no rating FIDE, os escores vão ficando distorcidos ao longo dos anos. O rating deflacionado é o rating bruto com correção da inflação e da evolução na compreensão do jogo, permitindo comparar jogadores de épocas diferentes de maneira mais justa. É similar aos sistemas Sonas (de Chessmetrics) e Edo, com pequenos aprimoramentos, e atualizado até 2021. Essa é a maneira mais justa de comparar jogadores de épocas diferentes, priorizando o talento inato e o nível de conhecimento disponível na época. O rating absoluto é a força que cada jogador teria se jogasse hoje da mesma maneira que jogava na época em que viveu. Nesse rating é corrigida a inflação, mas não é corrigida a evolução na compreensão do jogo. Por esse critério, os jogadores mais recentes são beneficiados. Se a finalidade for conhecer a qualidade absoluta de jogo, esse é o método mais apropriado. No final do livro, a lista com os 2022 melhores jogadores de todos os tempos está ordenada com base no rating deflacionado. Também são citados os ratings brutos e absolutos desses jogadores, mas não estão na ordem de classificação. Também são analisados os principais outros sistemas existentes, seus pontos fortes e fracos, são analisados alguns episódios marcantes da História do Xadrez, nos quais a aplicação desses métodos ajuda a dirimir dúvidas que durante séculos permaneceram insolúveis. Por exemplo: o misterioso caso de Louis Eichborn, as fantásticas vitórias de Fischer contra Larsen e Taimanov, os controversos matches entre Kasparov e Deep Blue II 1997, Steinitz e Chigorin 1892, Lasker e Schlechter 1910, Kasparov e Karpov 1984, entre outros... Além de viabilizar os cálculos dos ratings numa época quase pré-histórica, esses novos métodos possibilitam responder a dezenas de perguntas que permanecem em aberto, sobre diversos tópicos relacionados ao Xadrez. Nas primeiras páginas de amostra, disponíveis no link ao final, pode-se encontrar uma lista com algumas dessas questões. Para conhecer mais detalhes e ler uma amostra do livro, basta clicar no link a seguir:

Clube dos autores Amazon



Veja Também